???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bdtd.unoeste.br:8080/jspui/handle/jspui/1303
Tipo do documento: Dissertação
Título: Impacto do treinamento intervalado de alta intensidade sobre o estresse oxidativo do músculo esquelético de ratos espontaneamente hipertensos
Título(s) alternativo(s): Impact of high-intensity interval training on skeletal muscle oxidative stress in spontaneously hypertensive rats
Autor: D'Almeida, Thaynara Zanoni 
Primeiro orientador: Pacagnelli, Francis Lopes
Primeiro membro da banca: Castilho , Anthony César de Souza
Segundo membro da banca: Ozaki, Guilherme Akio Tamura
Resumo: O sedentarismo é fator de risco para o desenvolvimento e a progressão de diversas doenças, destacando-se as cardiovasculares, como a hipertensão arterial (HA), que afetam a qualidade de vida e a capacidade funcional. A elevação contínua da pressão arterial, pode evoluir para insuficiência cardíaca (IC), gerando manifestações musculares, como o aumento do estresse oxidativo na musculatura esquelética. O complexo NADPH oxidase é uma das principais fontes geradoras de espécies reativas de oxigênio (EROs) e dentre suas vias de sinalização estão o Nf-Kb e o Ik-B. O exercício físico é o melhor método de combate e dentre eles os exercícios do tipo intervalado de alta intensidade (HIIT) vêm sendo muito utilizados em indivíduos com HA. Essa modalidade tem como característica otimizar o tempo e assim promover maior adesão, além disso também são superiores aos exercícios aeróbios contínuos por oferecer maiores ganhos de aptidão cardiorrespiratória (VO2 máximo). Ainda não estão elucidados a influência do HIIT nos mecanismos bioquímicos e moleculares no músculo esquelético. Sendo o sedentarismo gerador de complicações, investigar essas estratégias de controle é essencial. Portanto, o objetivo do estudo foi avaliar o efeito do HIIT sobre o estresse oxidativo no músculo esquelético de ratos espontaneamente hipertensos. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentos Animais (Protocolo CEUA 1167-2016). Foram utilizados 25 ratos com 12 meses, divididos em: sedentários (SHR, n=9), treinamento HIIT (HIIT, n=10) e Wistar Kyoto controle (WKY, n=6). Os ratos foram familiarizados com o HIIT por uma semana por 10 minutos na esteira. Foi realizado teste de esforço incremental até a exaustão para graduar a intensidade do exercício na quarta semana de treinamento. O HIIT foi executado cinco vezes por semana, durante oito semanas. Foi aferida a pressão arterial sistólica (PAS) e realizado o teste de capacidade máxima ao exercício antes e após o treinamento. Após o término do delineamento experimental o músculo tibial anterior foi destinado às seguintes análises: capacidade antioxidante hidrofílica (CAH), peroxidação lipídica (MDA), carbonilação proteica, quantificação de interleucina-6 e fator de necrose tumoral-alfa. Adicionalmente, realizamos a avaliação dos níveis de expressão dos genes codificadores de membros do complexo NADPH oxidase (NOX2, NOX4, p22phox e p47phox) e das vias do Nf-Kb e Ik-B por RT-qPCR. Para comparação entre grupos e tratamentos foi utilizado ANOVA One-Way seguido de Tukey ou Kruskal-Wallis e Dunn’s ou Tukey-Kramer e teste de contraste ortogonal (p<0,05). Encontramos o aumento da interleucina-6 e do fator de necrose tumoral alfa no grupo HIIT vs. WKY (p<0,05) e alteração nos níveis de expressão dos genes envolvidos com as fontes geradoras de EROs, evidenciado pela diminuição do NOX2 e Ik-B no grupo HIIT vs. WKY (p<0,05). Conclui-se que o HIIT produz efeitos benéficos superiores, através da regulação do estresse oxidativo e de membros da cascata inflamatória no músculo esquelético, em ratos espontaneamente hipertensos quando comparados aos ratos saudáveis sedentários.
Abstract: Sedentary lifestyle is a risk factor for the development and progression of several diseases, especially cardiovascular diseases, such as arterial hypertension (AH), which affect quality of life and functional capacity. Continuous elevation of blood pressure can progress to heart failure (HF), generating muscle manifestations, such as increased oxidative stress in skeletal muscles. The NADPH oxidase complex is one of the main sources of reactive oxygen species (ROS) and among its signaling pathways are Nf-Kb and Ik-B. Physical exercise is the best method of combat and among them the high intensity interval type (HIIT) exercises have been widely used in individuals with AH. This modality has the characteristic of optimizing time and thus promoting greater adherence, in addition, they are also superior to continuous aerobic exercises because they offer greater gains in cardiorespiratory fitness (maximum VO2). The influence of HIIT on the biochemical and molecular mechanisms in skeletal muscle has not yet been elucidated. As sedentary lifestyle generates complications, investigating these control strategies is essential. Therefore, the aim of the study was to evaluate the effect of HIIT on oxidative stress in the skeletal muscle of spontaneously hypertensive rats. The study was approved by the Ethics Committee on Animal Experiments (Protocol CEUA 1167-2016). Twenty-five 12-month-old rats were used, divided into: sedentary (SHR, n = 9), HIIT training (HIIT, n = 10) and Wistar Kyoto control (WKY, n = 6). The rats were familiarized with HIIT for a week for 10 minutes on the treadmill. An incremental effort test was carried out until exhaustion to graduate the exercise intensity in the fourth week of training. HIIT was performed five times a week for eight weeks. Systolic blood pressure (SBP) was measured and the maximum exercise test was performed before and after training. After the end of the experimental design, the anterior tibial muscle was used for the following analyzes: hydrophilic antioxidant capacity (CAH), lipid peroxidation (MDA), protein carbonylation, interleukin-6 quantification and tumor necrosis factor-alpha. Additionally, we carried out the evaluation of the expression levels of the genes encoding members of the NADPH oxidase complex (NOX2, NOX4, p22phox and p47phox) and of the Nf-Kb and Ik-B pathways by RT-qPCR. For comparison between groups and treatments, ANOVA One-Way was used followed by Tukey or Kruskal-Wallis and Dunn’s or Tukey-Kramer and orthogonal contrast test (p <0.05). We found an increase in interleukin-6 and tumor necrosis factor alpha in the HIIT vs. WKY (p <0.05) and alteration in the expression levels of the genes involved with the sources that generate ROS, evidenced by the decrease in NOX2 and Ik-B in the HIIT vs. WKY (p <0.05). It is concluded that HIIT produces superior beneficial effects, through the regulation of oxidative stress and members of the inflammatory cascade in the skeletal muscle, in spontaneously hypertensive rats when compared to healthy sedentary rats.
Palavras-chave: Exercício. Espécies reativas de oxigênio. Insuficiência cardíaca. Sedentarismo.
Exercise. Reactive Oxygen Species. Heart Failure. Sedentary Behavior.
Área(s) do CNPq: CIENCIAS AGRARIAS::MEDICINA VETERINARIA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Oeste Paulista
Sigla da instituição: UNOESTE
Departamento: Mestrado em Ciência Animal
Programa: Mestrado em Ciência Animal
Citação: D'Almeida, Thaynara Zanoni. Impacto do treinamento intervalado de alta intensidade sobre o estresse oxidativo do músculo esquelético de ratos espontaneamente hipertensos. 2020. 41f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) - Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdtd.unoeste.br:8080/jspui/handle/jspui/1303
Data de defesa: 26-Jun-2020
Appears in Collections:Mestrado em Ciência Animal

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Thaynara Zanoni D’Almeida.pdfThaynara Zanoni D’Almeida812,59 kBAdobe PDFThumbnail

Download/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.